fbpx

Folha de pagamento: Como calcular?

Poucos funcionários sabem realmente, mas o caminho ao salário sair da conta de uma empresa para cair nos saldos dos colaboradores está repleto de detalhes. Por sorte aos gestores já existem ferramentas tecnológicas que realizam cálculos trabalhistas avançados, informam dados importantes e otimizam os trabalhos do preenchimento de folha de pagamento.

Para ajudar você a não errar no cálculo da folha de pagamento reunimos no artigo os principais elementos que devem constar na matemática. É só ler e depois aplicar para informar aos funcionários corretamente. Depois de executar a leitura perceba como será mais fácil calcular.

INSS na folha de pagamento

Os valores de INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) descontados do salário variam de acordo com a quantia da renumeração de cada funcionário.

Exemplos: Quem recebe mais do que R$5.189,83 tem desconto de R$570,88. Renumerações entre R$2.594,92 e R$5.189,82 devem ser descontadas em 11%. Os percentuais são 9% aos trabalhados que ganham de R$1.556,94 a até R$2.594,92, ao passo de que 8% se referem aos salários de R$1.556,94 ou menos.

Para saber mais sobre o INSS acesse clicando aqui.

FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço)

Importante destacar que o percentual único de 8% não deve ser descontado, mas sim acrescido como forma de adicional à renumeração e depositado em uma conta na Caixa Econômica Federal vinculada ao trabalhador.

exceção para pagamento do FGTS nos casos de salário-família ou contratação de funcionários informais.

Caso não exista FGTS no holerite o funcionário tem direito de reclamar, inclusive juridicamente. Lembre-se de que pagar esta quantia atrasada gera incidência de multa sobre os valores totais devidos.

Para saber mais sobre o FGTS acesse clicando aqui.

Detalhes do salário-família

Na folha de pagamento do salário-família não existem descontos. Há apenas o valor bruto no holerite. Esta é uma prerrogativa trabalhista que se destina aos trabalhadores com baixa renda.

Como funciona o desconto do vale-transporte na folha de pagamento?

Legalmente a empresa possui a obrigação de oferecer recursos ao transporte dos colaboradores.

Uma vez que o empregador resolva realizar descontos não pode descontar mais do que 6% sobre a renumeração. Esta regra vale até quando um negócio gasta valores superiores para transportar os funcionários.

Mesmo se a empresa oferece transporte particular não é permitido descontar na folha de pagamento mais de 6% sobre a renumeração bruta.

Descontando o vale-refeição!

Ao contrário da obrigatoriedade do vale-transporte, uma empresa não é obrigada a oferecer este benefício, embora muitos negócios ofereçam por entenderem ser um recurso fundamental aos trabalhadores.

O abono não se calcula com base no salário. Os descontos são de no máximo 20% em cartões magnéticos ou vouchers.

IRRF (Imposto de Renda Retido na Fonte)

As faixas salarias mostram a percentagem das alíquotas. Subtraia o valor de INSS apurado da renumeração bruta para ter a base da conta. No desconto apurado há dedução de R$ 189,59 aos funcionários com dependentes. Confira a tabela:

Tabela IRPF 2020

Tabela IRPF 2020

Para saber mais sobre o imposto de renda, acesse clicando aqui.

O cálculo da folha de pagamento

No Decreto 3048 de 1999 (Artigo. 225) existem em detalhes quais são as etapas para informar os dados na folha de pagamento dos trabalhadores brasileiros.

É obrigatório às empresas que atuam no Brasil informarem a renumeração em uma folha e manter os recibos quitados, assim como prover o lançamento dos totais recolhidos que também incluem as contribuições da empresa e quantias descontadas.

De início a apuração deve ser da renumeração bruta, tendo em vista que é dela que surgem os descontos, as quantias contributivas à Previdência Social, o valor ao depósito de FGTS, entre outras informações, até chegar no salário líquido.

Tanto os valores brutos (sem descontos) como as quantias líquidas (com descontos) são dados obrigatórios da folha de pagamento, um documento essencial a qualquer negócio formal ao considerar que prestações de informações salariais estão entre os direitos históricos da classe trabalhadora brasileira.

Folha de pagamento: Conselhos práticos

Realizar a folha de pagamento pode até parecer uma tarefa um pouco difícil. Mas sua vida é simplificada ao colocar em prática alguns conselhos profissionais:

  • Tecnologia: Com um simples programa como Excel e algumas aulas práticas em vídeos do Youtube você não apenas preenche dados rápidos ou confere informações como também tem a vantagem de aprender a aplicar as fórmulas dos cálculos.
  • Atualização: Insira todos os dados dos funcionários para ter pleno controle também do seu fluxo de caixa para assegurar o planejamento a fim de manter pagamentos em dia. Reserve um tempo do expediente apenas para realizar as atualizações cadastrais.
  • Separação: Separe a renumeração líquida da bruta para também ter o balanço sobre quais quantias são pagas aos impostos.
  • Itinerário: Contabilize as horas trabalhadas para não pagar menos ou mais dos valores corretos aos funcionários.
  • Revisão: De forma constante analise cada cartão de ponto com os dados que servem à alimentação da folha de pagamento. Horas extras, faltas, atrasos, enfim, diversas situações podem gerar acréscimos ou descontos salariais.

Tendo estas informações em mente você pode calcular a folha de pagamento com menos chances de erros. Bom trabalho!

Fonte da imagem em destaque: mohamed_hassan / Pixabay.com