fbpx

Minha Casa Minha Vida- Financiamento de Imóvel

Minha Casa Minha Vida é um programa governamental que serve para ajudar famílias com determinado nível de renda a comprarem imóveis dentro das cidades brasileiras. Além de redução considerável dos valores a pagar, você também se beneficia com outros aspectos imobiliários ao se inscrever.

Minha casa minha vida- Como funciona

Através de dados estatísticos econômicos  e imobiliários sobre a moradia no país, é possível destacar o aluguel como uma das maiores maneiras de moradia. Além disso, casos como moradia e aluguel compartilhado também aumenta. Também é levado em consideração, comunidades onde a região e tipo de moradia não são seguras, e que também crescem. 

Isso porque, a maioria dos casos inclui instabilidade financeira onde famílias tem renda baixa e pouca acesso aos meios para comprar ou financiar a moradia. Uma das formas de conseguir se livrar dos altos custos existentes nos empréstimos imobiliários que oferecem os bancos privados é usar o Minha Casa Minha Vida.

Dessa maneira, dependendo da renda total da família interessada em participar do programa, é possível começar o processo inicial para participar do programa minha casa minha vida. No entanto, é aconselhável compreender todas as informações sobre o processo e requisitos necessários para planejar a compra da sua casa própria.

 Minha Casa Minha Vida- Para as áreas metropolitanas: Atenção!

Este texto se dedica a informar como funciona o processo de inscrição no programa Minha Casa Minha Vida. Sendo assim o programa é destinado para famílias interessadas em comprar imóveis nas regiões metropolitanas.

No entanto, além da habitação urbana há outra modalidade de moradia, como por exemplo, a habitação rural. Portanto, confira quais são as condições para imóveis em área rural. 

 Quem pode participar do Minha Casa Minha Vida?

  • Apenas pode se inscrever no programa a família que ganha no máximo R$ 7 mil reais – esta é a prerrogativa essencial no Minha Casa Minha Vida.
  • Desta forma, mesmo que não tenham residência própria, grupos familiares que recebem acima do valor limite não possuem este benefício que dá uma força para a compra de imóveis residenciais.

Na prática, quanto menos renda possui a família mais vantagens o governo oferece quanto à compra da casa própria. Há dois casos específicos para iniciar o processo de inscrição:

  •  Famílias que no total possuem uma renda mensal inferior aos R$1.800 devem solicitar a inclusão na prefeitura do município.
  • Famílias que no total ganham de R$1.801 a até R$7.000 ao mês precisam realizar um cadastro de dados.

O orçamento familiar determina quais passos são necessários para participar do programa Minha Casa Minha Vida. Sendo assim, para funcionamento do programa os grupos familiares reconhecidos para participação são:

1: Grupos familiares com renda inferior a R$ 1.800

Pessoalmente, um dos membros da família deve seguir até à prefeitura do município em que deseja realizar a compra de imóvel. Vale destacar que a disponibilidade no Minha Casa Minha Vida pode variar conforme a oferta de imóveis à venda na região. Isto é, às vezes não há vagas disponíveis quando você vai realizar a primeira solicitação.

Logo depois dos passos iniciais ao cadastramento se deve entrar em uma fila de espera, aguardando a chegada da data de sorteio para assinar as cláusulas contratuais do Minha Casa Minha Vida.

Na própria prefeitura você pode solicitar para receber avisos no primeiro momento em que as vagas estiverem disponíveis para a sua família comprar imóvel com auxílio do programa governamental que quita até 90% do valor total.

Além da obrigatoriedade da família se enquadrar nas condições de renda também existem outras prerrogativas para a autorização:

  • Não ter imóvel próprio;
  • Não ter recebido benefícios governamentais de programas de habitação.
  • Não ter material de construção;
  • Não ter financiamento imobiliário;
  • Não ser trabalhador da Caixa Econômica Federal (CEF);
  • Não ser alguém casado (a) com funcionário (a) da CEF;
  • Residir em município com menos de 50.000 pessoas na população.
  • Cadastro no CADÚNICO (CRAS);
  • Sem cadastro no Programa de Arrendamento Residencial (PAR);
  • Sem inscrição no Cadastro Nacional de Mutuários (CADMUT).

2: Grupos familiares que possuem renda mensal de R$1.801 a até R$7.000

Embora as famílias que se enquadram nesta média de renda não possam participar do programa de modo integral o Minha Casa Minha Vida também concede algumas vantagens.

Neste caso famílias interessadas precisam realizar uma simulação do financiamento de habitações, de preferência em alguma agência da CEF. Desta forma, o gerente pode afirmar ao certo as condições para você comprar casa nova com teto máximo estabelecido previamente.

Geralmente os valores de teto máximo para a compra do imóvel mudam de acordo com cada região. Alguns exemplos:

  • Máximo R$120.000: Região Nordeste e Norte;
  • Máximo R$130.000: Região Centro-Oeste
  • Máximo R$140.000: Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
  • Máximo R$150.000: DF (Distrito Federal), Rio de Janeiro e São Paulo.

Algumas das vantagens que as famílias com esta faixa de renda possuem no Minha Casa Minha Vida são:

  • Descontos no seguro obrigatório de financiamento imobiliário;
  • Pagamento de parte dos valores da entrada do imóvel;
  • Taxas de juros de valores inferiores na comparação à média do mercado.

Outras alternativas para comprar imóvel

Dependendo das condições financeiras familiares atuais e de outros fatores pessoais você pode ter mais liberdade de escolha, ao optar por financiar ou participar de um consórcio para a compra da casa própria.

Embora as taxas sejam mais altas, o financiamento permite que você tenha o imóvel disponível rapidamente. No consórcio demora um tempo superior, mas os valores são inferiores.

Para obter mais informações sobre o benefício do Minha Casa Minha Vida, acesse o site oficial da Caixa clicando aqui. No entanto, caso queira conferir outros assuntos relacionados ao financeiro, clique aqui e confira outros informativos.

No Responses